You are currently viewing Economia Circular: Rumo a um Sistema de Produção mais Sustentável
Recycled material. Mass consumption. Recycling industry. Ecology.

Economia Circular: Rumo a um Sistema de Produção mais Sustentável

Saiba tudo sobre o conceito de economia circular e suas vantagens nos contextos econômico e ambiental.

Tempo de leitura: 4 minutos.

Por via de regra, a nossa sociedade vive segundo um regime de consumo linear. Isso significa que extraímos recursos finitos, os transformamos em produtos, consumimos e, ao final do processo, descartamos os substratos no ecossistema.

Nesse cenário marcado pela exploração excessiva, o desenvolvimento econômico gira em torno do consumo e este, por sua vez, resulta em um acúmulo significativo de resíduos. Segundo dados revelados pela Organização das Nações Unidas (ONU) em 2018, 99% dos produtos adquiridos pela humanidade são descartados em cerca de seis meses, originando em torno de 2 bilhões de toneladas de lixo no período de um ano.

Levando em conta o crescimento populacional e o consequente aumento na procura por bens, a mesma pesquisa sugeriu que nós precisaríamos de “70% de outro planeta Terra” para abrigar moradores, suprir a demanda por recursos e processar o lixo da maneira correta.

Por mais que uma parcela relevante desses resíduos seja reciclada, tais informações, aliadas ao declínio dos recursos naturais, evidenciam a necessidade de avançarmos em direção a um princípio econômico sustentável e cíclico.

Economia Circular

O que é Economia Circular?

A economia circular é um conceito estratégico que enxerga o sistema de produção de forma cíclica e ininterrupta, substituindo o descarte por fluxos de reutilização e aproveitando ao máximo o valor de produtos, componentes e materiais.

Trata-se de uma solução regenerativa que propõe a transformação de resíduos descartados em insumos durante um novo ciclo de produção. Essa concepção conserva algumas similaridades com a reciclagem, porém não deve ser confundida com a gestão de resíduos sólidos.

A diferença reside no fato de que a economia circular extrapola a redução dos impactos, como é proposto pelos 3Rs (Reduzir, Reutilizar e Reciclar). Ela representa uma mudança sistêmica que vai do design de produtos ecologicamente eficientes até a relação da sociedade com seus recursos e resíduos, visando a minimização da extração destrutiva.

Vínculo com a Sustentabilidade

A economia circular preza pelo desenvolvimento sustentável desde a sua origem, uma vez que é inspirada no processo de reabsorção natural, em que resíduos orgânicos se tornam adubo, iniciam um novo ciclo e mantêm o funcionamento dos ecossistemas.

Para saber mais sobre os princípios básicos do modelo e sua relação com a natureza, você pode assistir à animação “Economia Circular: Repensando o Progresso”. O vídeo foi produzido pela Fundação Ellen MacArthur (instituição focada no estudo desse conceito) com o intuito de divulgar a ideia para o público em geral.

A Implementação da Energia Circular

A maior parte dos desafios que cercam a implantação dessa economia cíclica está relacionado com a exigência de se promover uma mudança completa em diversos setores da sociedade. Em outras palavras, a adoção desse modelo não depende apenas das empresas.

Essas possuem a missão de repensar seus processos e produtos, substituindo a obsolescência programada por bens que possibilitem a reutilização ou, no mínimo, um descarte que não afete o meio ambiente. Um exemplo recente é a substituição das embalagens plásticas do iFood por opções produzidas com fécula de mandioca.

No entanto, para que a transição seja completa e eficiente, outras esferas sociais precisam ter participação ativa. Entre as ações mais importantes, podemos destacar:

  • O papel dos consumidores na devolução de produtos descartados em locais específicos;
  • A importância de comerciantes instalarem locais de devolução relacionados à sua área de atuação;
  • A necessidade de o governo promover campanhas de conscientização, fiscalizar etapas e facilitar o acesso a incentivos financeiros.

Além disso, uma mudança sistêmica exige o aperfeiçoamento de inúmeras etapas da produção. Nesse caso, estamos falando de estudos acerca da composição de produtos, buscas por materiais de fácil reutilização, otimização de processos e investimentos em equipamentos que atuem de acordo com essa nova metodologia.

Também é importante pensar na sustentabilidade como um todo. Portanto, temas como a reutilização de água e o aproveitamento de energias renováveis devem permanecer em pauta. O reaproveitamento de materiais e componentes precisa estar atrelado a soluções energéticas que funcionem de forma circular.

Seguindo com a proposta de desenvolver cadeias produtivas próximas dos ciclos naturais, a energia solar pode ser apontada como uma opção viável. É uma fonte de energia limpa, acessível e integrada à ideia de utilizar recursos por meio de fluxos saudáveis. 

Economia Circular

Uma Estratégia Cheia de Vantagens

O processo de transição para a economia circular tende a ser demorado e custoso, mas oferece benefícios de curto prazo e oportunidades de negócios em esferas ambientais, sociais e econômicas. Nós separamos as principais vantagens dessa implementação.

Redução do Consumo de Recursos Finitos

De acordo com um relatório produzido pela Fundação Ellen MacArthur, 82 bilhões de toneladas de matéria-prima entram no sistema produtivo mundial em um período de 12 meses.

O problema é que, considerando o aumento populacional previsto para os próximos anos, esse número deve continuar subindo. O Fundo Mundial para a Natureza (WWF) alertou que, se mantivermos o mesmo ritmo sem tomar providências imediatas, precisaremos de 2,5 planetas para nos abastecer em 2050.

A adoção massificada da economia circular redefiniria esse cenário, visto que a reutilização de resíduos descartados no ciclo de produção diminui a extração exagerada de recursos naturais.

A Caterpillar, empresa americana que investiu em programas de remanufatura, revelou que as plantas industriais adaptadas ao fluxo circular consomem 90% menos água do que a produção de um componente novo

Proteção contra a Escassez de Recursos

Para adotar esse modelo, uma empresa precisa se adequar a soluções que otimizam o uso de recursos finitos. Consequentemente, esse mesmo sistema de produção se resguarda contra as adversidades que podem surgir diante da falta de matérias-primas e componentes essenciais.

A reutilização de resíduos, o emprego de recursos alternativos e o desenvolvimento de novas técnicas de produção permite que seu negócio esteja pronto para se adaptar aos obstáculos criados pela escassez, incluindo a diminuição da produtividade ou a oscilação dos preços.

Economia Circular

Incentivo a Novas Oportunidades de Negócio

A transição para a economia circular depende do aperfeiçoamento de produtos, processos e modelos de negócios. Entre pesquisas e adaptações, o percurso até esse ponto viabiliza o surgimento de soluções inovadoras e eficientes.

Mais do que promover relações significativamente sustentáveis entre a produção e o consumo, tais propostas podem resultar em oportunidades empresariais que ampliam os propósitos da sua empresa, geram novos empregos e impulsionam os ganhos.

Potencial Econômico

Além de ser uma alternativa sustentável em relação ao sistema linear, a economia circular também é uma solução lucrativa em nível empresarial e governamental. Essa garantia motivou CEOs de 30 empresas a assinarem um acordo fomentado pelo Conselho Empresarial Brasileiro para o Desenvolvimento Sustentável (CEBDS).

Divulgado em abril de 2021, o documento “Neutralidade Climática: Uma grande oportunidade” estipula metas climáticas ambiciosas com o objetivo de atenuar a emissão de gases, reduzir custos de produção e fortalecer as marcas participantes perante seus concorrentes.

Segundo Marina Grossi, presidente da instituição, o investimento em negócios sustentáveis, acompanhados por estratégias circulares de baixo carbono, tendem a gerar aproximadamente 17 bilhões de dólares no país até 2030. Ou seja, a redução do desperdício beneficia tanto a economia quanto o futuro do planeta.


Entre as principais consequências do consumo linear estão a extração massiva de recursos finitos, a alta emissão de carbono na atmosfera e o descarte significativo de insumos. Se a sociedade continuar vivendo sob esse regime, nós precisaremos encontrar um novo planeta em breve. 

Esse cenário faz com que a transição para sistemas de produção cíclicos seja cada dia mais urgente. Já passou da hora de mudarmos nossos hábitos, caminhando assim na direção de um futuro melhor para as próximas gerações


Quer saber mais sobre desenvolvimento sustentável? Clique AQUI e faça parte dessa evolução com a gente!

Deixe um comentário