You are currently viewing Planejamento Financeiro: 7 Passos para o Ano Novo
Coworkers analyzing charts and graphs at the meeting, view from above

Planejamento Financeiro: 7 Passos para o Ano Novo

Mais um ano está chegando e, com ele, novas promessas, metas e objetivos. Chegou a hora de fazer um levantamento sobre como o ano que está acabando foi para você e a sua empresa e se preparar para o ano que se inicia. E o planejamento financeiro é a melhor forma para fazer isso. 

Tempo de leitura: 6 minutos


Neste artigo, você irá aprender:

  • Afinal, o que é planejamento financeiro?
  • Por que um planejamento financeiro é tão importante?
  • Como fazer um planejamento financeiro empresarial?
  • Não se esqueça do planejamento tributário
  • Quando começar a me planejar?

Confira nossas dicas e comece a se planejar para o ano novo.

Afinal, o que é planejamento financeiro?

Tanto o planejamento financeiro empresarial quanto o pessoal são muito importantes para uma família ou um negócio. Afinal, é a partir dele que as finanças serão organizadas para traçar metas e objetivos a serem alcançados.

Para uma empresa, o planejamento e controle financeiro é ainda mais importante. Afinal, essa estratégia pode determinar o sucesso ou fracasso do negócio.

Um bom planejamento financeiro deve conter dados sobre as finanças atuais, definição de metas e planos quanto a como conquistá-las. Ele é um processo altamente analítico, mas também deve ser criativo para elaboração de metas.

Com esse documento, você poderá projetar as receitas e despesas do ano novo, fazendo uma análise dos cenários interno e externo. Com isso, você pode se preparar para adversidades ou aproveitar as oportunidades.

Ao entender a situação da sua empresa, você poderá tomar decisões mais assertivas sobre o seu negócio, gerando melhores resultados e utilizando seus recursos financeiros de forma mais eficiente.

Por que um planejamento financeiro é tão importante?

Este documento é importante para determinar os recursos e esforços necessários para se chegar a um objetivo.

Você quer expandir sua empresa? Ou ter mais lucros? Gastar menos? É a partir de um planejamento financeiro que você entenderá quais os passos que você deve dar para chegar ao seu objetivo.

Com um planejamento financeiro bem feito, é possível:

  • Entender o que é custo e o que é gasto na sua empresa;
  • Analisar de onde o dinheiro vem e para onde ele vai;
  • Identificar gastos excessivos;
  • Ter mais controle financeiro do seu negócio;
  • Ter uma base de dados;
  • Criar metas palpáveis de acordo com sua realidade;
  • Reconhecer períodos de maior e menor receitas e se preparar para isso.
  • Se prevenir quanto a adversidades;
  • Melhorar seus hábitos de consumo;
  • E muito mais…

Como fazer um planejamento financeiro empresarial?

Separamos para vocês algumas dicas de como organizar as finanças da sua empresa e se preparar para o novo ano. Queremos que, ao final dele, você tenha conquistado as metas anuais e esteja no caminho de conquistar seus objetivos maiores.

1. Comece pela análise SWOT

A análise SWOT é uma ótima forma de fazer um levantamento da atual situação de uma empresa. A partir dela, é possível entender fatores internos e externos que afetam sua empresa.

  • Strengths (Forças): vantagens internas da sua empresa, o que deve ser aproveitado;
  • Weakness (Fraquezas): pontos de desvantagens da sua empresa, o que pode ser melhorado;
  • Opportunities (Oportunidades): fatores externos à sua empresa, mas que podem te beneficiar de alguma forma;
  • Threats (Ameaças): forças externas que você não pode controlar, e podem prejudicar seu negócio.

Essa análise pode te dar uma visão mais ampla do seu negócio, te mostrando quais são os pontos a serem melhorados e quais aqueles que devem ser reforçados. Alguns fatores estão fora do seu controle, mas podem ser usados como oportunidades. Se eles são vistos como ameaças, é importante entender quais suas ações para evitá-los.

Com esses dados levantados, agora é possível dar início ao planejamento efetivamente, tendo em vista os recursos disponíveis para definir suas metas.

2. Entenda quais são suas despesas e receitas

Quanto você gasta para manter a sua empresa? E qual o retorno que você tem com ela?

Essas perguntas são muito importantes para entender a atual situação do seu negócio.

Afinal, para uma empresa ter saúde financeira, o valor das receitas deve ser maior que o valor das despesas.

É entendendo quais são os ativos e passivos da sua organização que você conseguirá precificar seu produto ou serviço de forma efetiva e que não gere prejuízos.

Para esta etapa, você pode usar planilhas ou aplicativos para discriminar item por item de seus gastos e suas receitas.

Não se esqueça de detalhar tudo: cada gasto contabilizado é muito importante para precificar o seu produto. Esse preço deve sustentar todos os seus gastos para que sua empresa possa crescer e você atinja a saúde financeira que almeja.

3. Projete cenários futuros

Com base nos 2 primeiros passos, crie projeções financeiras e situações em que sua empresa possa estar exposta nos próximos meses.

Quais ameaças sua empresa pode ter que enfrentar durante o ano? Algum evento pode trazer oportunidades para você? Quais gastos podem ser aumentados? E quais receitas podem ser diminuídas?

É preciso se preparar para cenários diferentes e se planejar para possíveis contingências. Você pode criar dois cenários alternativos: um otimista, em que sua empresa atinja todas as expectativas, e um pessimista, em que suas metas não são batidas.

Essa é uma forma de você elaborar um plano de como agir em cada uma das possibilidades. Uma boa saída para isso é manter uma reserva de caixa para um possível cenário negativo ou imprevistos.

O futuro é imprevisível, mas você pode se preparar para não ser pego desprevenido. 

4. Defina suas metas e objetivos

Depois de entender qual a situação da sua empresa no mercado, discriminar suas despesas e receitas e prever possíveis cenários, chegou a hora de ser criativo! Sem tirar os pés do chão, é claro.

É nesta etapa que você vai definir aonde quer chegar. Quais são seus objetivos e metas a curto, médio e longo prazos?

É muito importante que essas metas sejam passíveis de serem cumpridas com a realidade da sua empresa. E, para isso, é preciso entender seus limites de custos e despesas e a possibilidade de novos investimentos.

Coloque em uma tabela quais são seus objetivos e tente traduzi-los em números – qual o valor necessário para alcançar tal meta – e estabeleça prazos para chegar ao valor. Não se esqueça de colocá-los em uma ordem de prioridade.

5. Crie um plano de ação

Suas metas já estão definidas. Agora, é hora de entender como alcançá-las. 

Planeje o ano da sua empresa para que conquiste os seus objetivos. Cada área da sua empresa faz parte desse planejamento financeiro e é peça fundamental para que você cumpra suas metas.

Divida seus objetivos com outras pessoas e entenda como cada um pode ajudar a chegar lá. Faça um mapa das ações necessárias dentro de cada equipe para um resultado em conjunto. 

Crie um cronograma realista com prazos e tarefas de cada um, conforme as responsabilidades e competências da equipe. Essas tarefas individuais devem ser criadas para garantir que os objetivos globais sejam alcançados como um todo.

Não se esqueça de documentar todo o processo e acompanhar as ações, para mensurar os resultados e identificar o que pode ser melhorado ou reforçado.

6. Agora é hora de colocar em prática

Plan, Do, Check, ACT

O Ciclo PDCA é um processo que pode ajudar (e muito) na hora de montar um planejamento. Ele consiste em quatro etapas que se repetem, padronizando tarefas e aperfeiçoando a execução.

Após planejar, fazer e checar, agora está na hora de agir e colocar as mãos na massa. 

Nesta etapa, as medidas levantadas no item 5 serão executadas de forma eficiente e eficaz. As metodologias devem ser bem definidas. Por isso, aposte na qualificação e treinamento das pessoas envolvidas.

Cada pessoa da equipe é muito importante nesse processo e, por isso, a execução do planejamento financeiro é uma tarefa de todos.

7. Avalie e mude o que for necessário

Não tenha medo de errar e refazer seus planos. 

Use os documentos feitos durante todo o processo para controlar e comparar os resultados reais com as projeções feitas. Verifique se estão dentro das metas definidas e se ajustes são necessários.

O Ciclo PDCA é constante e a análise é muito importante para reparar previamente possíveis falhas e evitar maiores prejuízos. A cada ciclo completo, o empreendedor está mais apto a conquistar seus objetivos e aperfeiçoar seus processos.

Por isso, se em suas análises você perceber algum erro, ou algo que não esteja funcionando, não fique receoso em mudar o rumo das coisas. Para seu plano ser eficaz, é preciso rever processos, corrigir falhas e reavaliar constantemente a estratégia proposta.

Não se esqueça do planejamento tributário

O Brasil é um dos países com maior carga tributária no mundo. Por isso, ao criar o seu plano financeiro, lembre-se disso.

Afinal, tudo o que você recebe e gasta é passível de impostos e, por isso, é sempre importante se organizar para que, ao declarar sua renda anual, você esteja preparado para os tributos que serão cobrados.

Quando começar a me planejar?

A resposta para essa pergunta é simples: JÁ!

Todo planejamento precisa de um período de tempo para ser realizado. Alguns, são realizados em semanas ou meses e até anos. Que tal aproveitar o ano novo e começar a organizar as finanças da sua empresa?

Assim, em 365 dias, você poderá rever esse planejamento e identificar o que conseguiu realizar neste tempo.

Vamos nessa?


Viaje por outros textos sobre empreendedorismo no nosso Blog.

Deixe um comentário